setembro 17, 2009

Mais dois, no Paraíso das Letras…

Posted in Meus textos; Homenagem às 1:07 am por espacointuicao

Por Joandre Oliveira Melo

No último sábado, doze de setembro de 2009, em uma tarde, que apesar de inverno, trazia consigo o acolhedor calor da primavera que se anunciava, tomaram posse nas cadeiras de número um (01) o Prof. Dr. Flávio Marcus da Silva e cadeira doze (12) o professor e ator José Roberto Pereira. Tendo como patronos: Robson Correia de Almeida egrégio escritor e historiador de nossa terra e o titã da literatura Mineira Guimarães Rosa, respectivamente. Ambas, as cadeiras, ocupadas, anteriormente, pelos falecidos acadêmicos: Dirceu Mendonça e Sylvio Lage Pinto.

A natureza já pressentindo o perscrutar da primavera – que chegará dentro de alguns dias – metamorfoseava-se em cores e cheiros. Os pássaros já gorjeavam doces melodias; os sons eram como as flautas dos sátiros, encantados pelo desabrochar da natureza, em busca das ninfas do campo.

Neste cenário Dionisíaco ocorreu o evento de posse dos felizardos escritores às cadeiras da Academia de Letras de Pará de Minas.

Com um belo discurso o acadêmico Prof. Geraldo Fernandes Fonte Boa apresentou aos convidados o Prof. Fávio Marcus da Silva e a Sra. Terezinha Pereira introduziu o Prof. José Roberto Pereira.

Discursaram os novos acadêmicos. Cada um a sua maneira emocionou os ouvintes que os aplaudiram efusivamente. Durante suas palavras, nem mesmo os neo-acadêmicos escaparam da emoção que os acometia.

José Roberto Pereira quebrou o protocolo encenando um conto de seu patrono. E soube transpor com maestria, através das cenas, as palavras do seu patrono, o preclaro escritor Guimarães Rosa.

O Prof. Flávio Marcus em seu sóbrio discurso soube, como ninguém, revelar o ofício do escritor. O escritor, completa o neo-academico em uma metáfora fantástica, deve dilacerar o seu corpo até sangrar abundantemente. Esse sangue que jorra de dentro, pela dilaceração, demonstra o golpe lancinante que aflorará em belíssimos arranjos de idéias cuidadosamente postas em uma folha de papel. Lá, no papel, deixará impressa sua digital; a digital do seu espírito único, singular, inquieto… E o imortalizará.

Anúncios

3 Comentários »

  1. Carmélia Cândida said,

    Foram muito bonitos os discursos, tanto do Flávio Marcus da Silva quanto do José Roberto Pereira. Acredito que a presença deles virá a acrescentar muito à Academia.
    Um grande abraço!

  2. Terezinha Pereira said,

    Joandre,

    Realmente, Flávio e José Roberto são pedras preciosas que enriquecem nossa academia que, quem sabe um dia, virá a ser o "paraíso" das letras.
    Dependerá da união de todos e da vinda de novos tesouros. Estes existem.
    Abraços,
    Terezinha

  3. Terezinha Pereira said,

    Joandre,

    Realmente, Flávio e José Roberto são pedras preciosas que enriquecem nossa academia que, quem sabe um dia, virá a ser o "paraíso" das letras.
    Dependerá da união de todos e da vinda de novos tesouros. Estes existem.
    Abraços,
    Terezinha


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: